O universo que me perdoe, mas eu não suporto gente que comprou a verdade. Não dá. Aceito tudo, compreendo, agradeço, topo qualquer diferença. Só não engulo os donos da verdade me empurrando goela abaixo a sua visão unilateral das coisas. Alguém que por algum motivo vendeu a alma me dá pena. Já o sujeito que comprou a verdade provoca em mim um ímpeto irresistível de sair correndo.

Que história é essa de verdade absoluta? Esse negócio não existe! Verdades, cada um escolhe as suas e procura viver de acordo com elas. A liberdade de discordar é uma riqueza que nos foi atribuída generosamente. Eu, você e todo mundo somos livres e temos o direito de discordar de quem quisermos, quando bem entendermos, sem que nos acusem de não ter “escuta”.

Aliás, classificar toda pessoa disposta a defender suas ideias como alguém incapaz de escutar o outro é uma generalização burra, tacanha, mesquinha e canalha. Manipulação vil e ditatorial de quem quer impor a qualquer custo a verdade da qual se acha proprietário.

Posso muito bem ouvir atencioso qualquer pessoa, escutar suas razões, conhecer seus motivos, contextualizar suas ideias e, ainda assim, discordar de tudo o que ouvi. Porque não?

Se eu discordo do que você me diz, é porque eu ouvi o que você me disse. Não posso discordar do que não foi dito nem foi feito. Agora, ouvir atentamente não me obriga a concordar com o que estou ouvindo, e isso também não quer dizer que eu discorde sempre de tudo e de todos. Ora concordo, ora não. Além do mais, todos somos livres para caminhar juntos apesar de nossas discordâncias.

É muito estranha a lógica adotada por tanta gente, aqui e ali, segundo a qual aquele que concorda com o outro é alguém que sabe escutar e aquele que discorda não tem “escuta”. Aqui pra nós, isso é manipulação barata. Premissa falsa travestida de argumento. Comportamento de gente vil e cretina, empenhada em atropelar as liberdades pessoais dos outros para fazer valer as suas.

Agora, o pior. Quem compra a verdade adora aquela gente que em geral concorda com qualquer coisa só para não ser acusada de não saber ouvir. E isso não tem outro nome: concordar discordando é vender a alma e vender barato. Tenho pena de um e pavor de outro. Deus nos livre dos dois.

Compartilhar

Jornalista e publicitário pós-graduado em Gestão Estratégica da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo – ECA-USP. Com 20 anos de experiência profissional, produziu conteúdo editorial e publicitário para inúmeros clientes em diversos segmentos. Tem seis livros publicados, é redator em agência de propaganda e professor da Escola Superior de Administração, Marketing e Comunicação – ESAMC em Sorocaba. No primeiro semestre de 2014, lançou o seu primeiro livro infantil e tem cinco títulos no catálogo da Editora Nova Alexandria.

Para conhecer seus livros, visite o site.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA