Guarde seu dinheiro. Poupe seus sapatos, roupas e calorias. Aplique suas lembranças e invista em sonhos, só não economize o amor. Amor estocado estraga, cria bolor, fica velho, perde o tempo. Amor não é ação que se compra na baixa e se vende na alta. Seu título é pessoal e intransferível. Sua colheita é diária e só depende de nós.

Enquanto você passa dias engordando esse porquinho com economias de amor, tem gente por aí esbanjando sua maior riqueza pra quem quiser ver. Doando tempo, atenção e afeto, a vida dos amantes é hoje e agora. Construindo seus dias e costurando suas histórias feitas de tentativas de acertos e erros, seguem o curso sem olhar pra trás, nem ansiar pelo futuro. A vida então transborda.

Essa gente generosa, que gasta todas as suas fichas no amor, bem sabe que quanto mais se dá, mais se tem. A fórmula é simples, mágica e não tem segredo. O valor desse “título” do amor reflete nos outros e volta pra nós valendo o dobro. Ganhamos então aquilo que oferecemos, nada mais, nada menos.

Amor de economia não enche barriga, nem bexiga, quem dirá um coração. Você já pensou partir desse mundo com uma gorda poupança de amor não distribuído, compartilhado e nem vivido? Bom, mas isso é só mais uma reflexão de um coração inquieto e desobediente, que nunca entendeu muito bem dessas economias. Façamos então um trato: cuide bem do seu estoque de amor, catalogue suas emoções com etiquetas coloridas e organize em prateleiras suas prioridades. Enquanto eu fico aqui, zerando meu cronômetro todas as noites, porque do amanhã ninguém sabe.

Compartilhar

Jornalista e gestora cultural com especialização em marketing, comunicação digital e práticas dirigidas a elaboração de projetos de incentivo e fomento a arte em suas mais diversas manifestações. É diretora da Montenegro Produções Culturais, com sede em Curitiba, e da Guanabara Produções Culturais, como extensora dos projetos de arte para outros Estados do Brasil. Recentemente, produziu três edições do Festival de Teatro Infantil de Curitiba, quatro edições do Festival No Improviso Jazz & Blues, a série de encontros Conversarte, exposições artísticas, oficinas culturais, seminários de sustentabilidade e outros.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA